Palácio dos Bandeirantes sediou Fórum do Crea-SP

by Adriano Freires de Souza

Na manhã da sexta-feira, 6 de dezembro, o Palácio dos Bandeirantes, na Capital paulista, sediou o Fórum Conjunto Crea-SP e Entidades de Classe, oportunidade em que o Conselho reuniu-se com os dirigentes desses grupos e com os inspetores para falar, entre outros pontos, sobre suas metas de fiscalização para 2020.

Assista no link abaixo ao evento completo:

Foi o sexto e último encontro conjunto do ano, quando o presidente do Crea-SP, Eng. Vinicius Marchese Marinelli, compôs o dispositivo de honra ao lado de seu vice-presidente, Eng. Agr. Glauco Eduardo Pereira Cortez; da superintendente de Fiscalização, Eng. Maria Edith dos Santos; do coordenador do CDER-SP, Eng. Mamede Abou Dehn Junior; da diretora de Entidades de Classe, Eng. Agr. Ana Meire Coelho Figueiredo; e do inspetor chefe do município de Osvaldo Cruz, Carlos Alberto Peixoto, representando todos os inspetores presentes ao evento.

“O trabalho que vocês vêm desenvolvendo à frente das inspetorias e das CAFs é surpreendente”, disse o presidente do Crea-SP ao anunciar o resultado histórico de 1 milhão e 7 mil ARTs já recolhidas este ano por empresas e profissionais registrados. “Isso significa que temos profissionais habilitados atuando num momento em que a economia não nos favorece”, ressaltou.

“Precisávamos muito de um engenheiro com pouco mais de 30 anos para promover as mudanças que eram e ainda são necessárias para o Crea-SP e o presidente Vinícius conseguiu fazer isso em três anos”, disse o vice-presidente, enquanto o inspetor Peixoto afirmou: “Faço parte de uma geração que está deixando o sistema, mas hoje sou testemunha viva do quando o Crea-SP mudou com o trabalho deste jovem presidente”.

A diretora de Entidades de Classe destacou a parceria com o CDER-SP “para a promoção deste espaço de discussão para os nossos profissionais” e o engenheiro Mamede ressaltou a importância das entidades de classe para o fomento da Engenharia.

Abrindo o ciclo de palestras para falar sobre a Engenharia brasileira e as novas Diretrizes Curriculares Nacionais, o presidente da Abenge, Eng. Vanderli Fava de Oliveira, ressaltou a necessidade de formar engenheiros para ocupar postos de decisão no País, as competências chave desse novo profissional (criatividade, originalidade e iniciativa; pensamento crítico e analítico; resolução de problemas complexos; e inteligência emocional) e as mudanças significativas trazidas pelas novas regras, como o fato de que todo docente do ensino superior em 2020 deve ter recebido formação pedagógica certificada. “A Engenharia está precisando de mobilização e luta para nos colocar no lugar que a gente merece”, destacou.

Na sequência, o chefe da Unidade de Projetos e Inovação do Crea-SP, Rafael Lagos, falou sobre o papel e a importância da tecnologia para a atuação do Conselho, ressaltando a transformação digital ocorrida para automatizar processos, informar com maior confiabilidade e rapidez; concentrar informações, controlar e gerir; e simplificar os processos.

Encerrando a programação do Fórum, a superintendente de Fiscalização fez uma retrospectiva sobre as atividades promovidas durante o ano, que totalizaram 158 mil ações fiscalizatórias até o final de novembro ( “no ano passado todo foram 136 mil”, ressaltou) e apresentou o plano de fiscalização para o ano de 2020, com ênfase nas prioridades das Câmaras Especializadas (na área de Engenharia Química, por exemplo, os conselheiros apontaram a necessidade de fiscalizar as indústrias químicas, com foco nos 3 “p”: produtos, processos e profissionais), além de mostrar o calendário de realização de forças tarefas de fevereiro a maio, sempre precedendo os Colégios Regionais de Inspetores.

Produzido pelo Departamento de Comunicação do Crea-SP

Reportagem: Jornalista Perácio de Melo – DCOM/SUPGES

Fotos: Gustavo Fernandez – DCOM/SUPGES

Fonte: CREA-SP

Posts relacionados

Deixe um comentário